o ano em que meus pais saíram de férias

Cinema Brasileiro, 10 filmes que você precisa assistir

17 de fevereiro de 2017 , In: Entretenimento , With: One Comment
0

Quando se trata de cinema brasileiro, muita gente só conhece as grandes comédias e acham que é só isso que a gente produz. Ou que os outros filmes são ruins. Mas, na verdade, todos os anos são produzidos aqui filmes dos mais variados gêneros, e muitos deles são excelentes filmes.

Nos últimos anos, o Brasil tem estado presente nos grandes festivais de cinema e arrebatado prêmios importantes. Pra falar verdade, os filmes brasileiros são mais frequentes nos grandes festivais do que nas nossas próprias salas de cinema. Ou seja, se você não conhece muitos filmes nacionais (sem ser de comédia) a culpa não é sua. Falta incentivo e divulgação do cinema nacional e sobra exaltação aos blockbusters americanos.

E, com isso, ao longo do tempo muita gente desenvolveu um certo preconceito com os filmes brasileiros. Mas, confie em mim, a gente produz coisa boa! Vai me dizer que você não gosta de Cidade de Deus? Nem de O Alto da Compadecida? (Se não assistiu a esses filmes, pelo amor de Deus, corre pra assistir, eles são tipo um pré requisito para a lista a seguir, e são incríveis)

Aposto que você gosta desses dois filmes, mesmo que eles não sejam seus preferidos. Pensando neles, acho que você já pode concordar comigo, pelo menos um pouquinho. Mas, não vou te dizer que os nossos filmes são todos iguais ou parecidos com a dupla citada, pois não são. Talvez sejam até um pouco parecidos com O Alto, mas Cidade de Deus é um caso a parte.

É que CDD é um filme com “clipado” com uma narrativa rápida, um ritmo acelerado que mantém o espectador sempre ligado. Por isso, ele se aproxima um pouco dos filmes americanos. Entretanto, a grande maioria dos filmes brasileiros são mais “lentos”. E quando eu digo lentos não quer dizer que eles sejam mais longos, mas sim que a narrativa se desenvolve em um ritmo diferente. É um ritmo aproximado dos filmes europeus. Se você gosta de cinema francês ou até mesmo do inglês é possível que vá gostar do nosso também.

Esse ritmo diferente é o principal motivo do estranhamento que muita gente tem quando vê pela primeira vez um filme de drama brasileiro. Porém, não se assuste com isso. Estranhar algo diferente do que você está acostumado é comum. A questão é justamente esse “acostumar-se”. A gente precisa se acostumar a esse ritmo diferente. E com isso passamos a gostar.

O que quero dizer com isso? Que no inicio você pode achar um filme chato, monótono, até “ruim” (embora eu deteste chamar qualquer filme assim), mas se você der uma chance à ele pode acabar gostando. Muitos filmes brasileiros têm história incríveis contadas de maneiras extraordinárias. E, não há nada melhor do que se reconhecer na tela. Reconhecer uma situação, um estilo de vida, um lugar, uma mania, um costume, é o tipo de coisa que você só vai ter vendo filmes brasileiros. Por mais universal que o cinema americano tenha se tornado ele nunca vai ser tão verossímil à nós brasileiros do que o cinema brasileiro.

Então, meu único pedido aqui é esse: Dê uma chance ao cinema nacional. Desafio você a assistir a, pelo menos, dois filmes da lista de 10 que vou colocar aqui. Depois me diga o que achou. Acho difícil não ter um que você goste.

Bom, já falei demais, vamos a lista.

1.Hoje Eu Quero Voltar Sozinho

“Leonardo (Ghilherme Lobo), um adolescente cego, tenta lidar com a mãe superprotetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. Quando Gabriel (Fabio Audi) chega na cidade, novos sentimentos começam a surgir em Leonardo, fazendo com que ele descubra mais sobre si mesmo e sua sexualidade.” 

Lançado em 2014, Hoje Eu Quero Voltar Sozinho foi o filme brasileiro encolhido para concorrer a uma indicação ao Oscar do ano. Não conseguiu entrar, mas venceu o Teddy Award no Festival de Berlim 2014 e ganhou os corações de milhares de espectadores. Confesso que tenho um apego à esse filme. Acho incrível a sensibilidade dele em tratar questões tão importantes.

Ele está disponível na Netflix e no TelecinePlay

2. Central do Brasil

“Dora (Fernanda Montenegro) trabalha escrevendo cartas para analfabetos na estação Central do Brasil, no centro da cidade do Rio de Janeiro. Ainda que a escrivã não envie todas as cartas que escreve – as cartas que considera inúteis ou fantasiosas demais -, ela decide ajudar um menino (Vinícius de Oliveira), após sua mãe ser atropelada, a tentar encontrar o pai que nunca conheceu, no interior do Nordeste.”

Acho que esse é o filme mais antigo dessa lista, mas mesmo com seus quase 19 anos ele continua atual na sua mensagem. Ele rendeu uma indicação de Fernanda Montenegro ao Oscar de melhor atriz principal. Ela não ganhou e até hoje a gente não engole isso (hahaha), porque a atuação dela é realmente maravilhosa. Mas, o filme levou o Globo de Ouro e o o prêmio do Festival de Berlim de melhor filme.

3.O lobo atrás da porta

“O desaparecimento de uma criança faz com que seus pais, Bernardo (Milhem Cortaz) e Sylvia (Fabiula Nascimento), vão até uma delegacia. O caso fica a cargo do delegado (Juliano Cazarré), que resolve interrogá-los separadamente. Logo descobre que Bernardo mantinha uma amante, Rosa (Leandra Leal), que é levada à delegacia para averiguações. A partir de depoimentos do trio, o delegado descobre uma rede de mentiras, amor, vingança e ciúmes envolvendo o trio.”

Se você gosta de filmes policiais e de brincar de detetive esse filme é uma boa escolha. O desenrolar da historia convida o espectador a ir desvendando o que realmente está acontecendo. Com um bom equilibro entre o drama e a comédia o filme se torna leve de assistir.

4.Tatuagem

“Recife, 1978. Clécio Wanderley (Irandhir Santos) é o líder da trupe teatral Chão de Estrelas, que realiza shows repletos de deboche e com cenas de nudez. A principal estrela da equipe é Paulete (Rodrigo Garcia), com quem Clécio mantém um relacionamento. Um dia, Paulete recebe a visita de seu cunhado, o jovem Fininha (Jesuíta Barbosa), que é militar. Encantado com o universo criado pelo Chão de Estrelas, ele logo é seduzido por Clécio. Não demora muito para que eles engatem um tórrido relacionamento, que o coloca em uma situação dúbia: ao mesmo tempo em que convive cada vez mais com os integrantes da trupe, ele precisa lidar com a repressão existente no meio militar em plena ditadura.”

Para mim, Tatuagem é aquele filme indefinível. Polêmico, forte, e as vezes um pouco exagerado, a única coisa que eu tenho certeza sobre esse filme é que ele deve ser visto. Ele traz um perspectiva totalmente diferente para o cinema brasileiro ao fugir do eixo Rio-São Paulo.

É possível assiti-lo no TelecinePlay

5.Meu nome não é Jhonny

“João Guilherme Estrella (Selton Mello) nasceu em uma família de classe média do Rio de Janeiro. Filho de um diretor do extinto Banco Nacional, ele cresceu no Jardim Botânico e frequentou os melhores colégios, tendo amigos entre as famílias mais influentes da cidade. Carismático e popular, João viveu intensamente os anos 80 e 90. Neste período ele conheceu o universo das drogas, mesmo sem jamais pisar numa favela. Logo tornou-se o maior vendedor de drogas do Rio de Janeiro, sendo preso em 1995. A partir de então passou a frenquentar o cotidiano do sistema carcerário brasileiro.”

Adoro esse filme e já assisti várias vezes. Ele tem uma narrativa envolvente que torna fácil assisti-lo. E a atuação do Selton Mello é um espetáculo a parte.

Você encontra ele disponível na Netflix.

6.O som ao redor

“A presença de uma milícia em uma rua de classe média na zona sul do Recife muda a vida dos moradores do local. Ao mesmo tempo em que alguns comemoram a tranquilidade trazida pela segurança privada, outros passam por momentos de extrema tensão. Ao mesmo tempo, casada e mãe de duas crianças, Bia (Maeve Jinkings) tenta encontrar um modo de lidar com o barulhento cachorro de seu vizinho.”

Só de ler a sinopse já da pra gente se identificar com o filme, não é mesmo? Mas não é “só isso” que faz desse filme uma obra prima. O roteiro, que levou vários prêmios, é realmente surpreendente. Não a toa, o filme foi o escolhido brasileiro para concorrer a uma indicação ao Oscar de 2013.

7.Que horas ela volta?

“A pernambucana Val (Regina Casé) se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Com muito receio, ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino (Michel Joelsas) vai prestar vestibular, Jéssica (Camila Márdila) lhe telefona, pedindo ajuda para ir à São Paulo, no intuito de prestar a mesma prova. Os chefes de Val recebem a menina de braços abertos, só que quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente, como não deveria, a situação se complica.” 

Primeiro, você vai descobrir com esse filme que a Regina Casé é uma excelente atriz.  Depois, vai ver que uma história “comum” quando tratada com sensibilidade pode se transformar num filme fascinante. O filme levou vários prêmios e é mais um da lista que foi escolhido para concorrer a uma indicação ao Oscar.

O filme está disponível no TelecinePlay.

8.O Palhaço

“Benjamim (Selton Mello) trabalha no Circo Esperança junto com seu pai Valdemar (Paulo José). Juntos, eles formam a dupla de palhaços Pangaré & Puro Sangue e fazem a alegria da plateia. Mas a vida anda sem graça para Benjamin, que passa por uma crise existencial e assim, volta e meia, pensa em abandonar Lola (Giselle Mota), a mulher que cospe fogo, os irmãos Lorotta (Álamo Facó e Hossen Minussi), Dona Zaira (Teuda Bara) e o resto dos amigos da trupe. Seu pai e amigos lamentam o que está acontecendo com o companheiro, mas entendem que ele precisa encontrar seu caminho por conta própria.”

Aquele filme que vale por uma consulta ao psicólogo. Mas que também faz a gente descobrir perguntas que nunca  pensamos em nos fizer antes. Uma perfeita mistura entre comédia e drama e mais uma atuação incrível de Selton Mello.

Este aqui também encontra-se no TelecinePlay.

9.O ano em que meus pais saíram de férias

“1970. Mauro (Michel Joelsas) é um garoto mineiro de 12 anos, que adora futebol e jogo de botão. Um dia, sua vida muda completamente, já que seus pais saem de férias de forma inesperada e sem motivo aparente para ele. Na verdade, os pais de Mauro foram obrigados a fugir da perseguição política, tendo que deixá-lo com o avô paterno (Paulo Autran). Porém o avô enfrenta problemas, o que faz com que Mauro tem que ficar com Shlomo (Germano Haiut), um velho judeu solitário que é vizinho do avô de Mauro.”

Se você gosta de história esse filme é uma boa pedida. Mas não espere ver o que você ja sabe sobre a ditadura aqui. “O ano em que meus pais saíram de férias” traz o lado que ninguém fala da ditadura. E traz de uma forma linda de se ver. Tanto que o filme foi pré-indicado ao Oscar do ano que foi lançado.

Outro que pode ser visto lá no TelecinePlay.

10.Praia do Futuro

“Praia do Futuro, Ceará. Donato (Wagner Moura) trabalha como salva-vidas. Seu irmão caçula, Ayrton (Jesuita Barbosa), tem grande admiração por ele, devido à coragem demonstrada ao se atirar no mar para resgatar desconhecidos. Um deles é Konrad (Clemens Schick), um alemão de olhos azuis que muda por completo a vida de Donato após ser salvo por ele. É quando Ayrton, querendo reencontrar o irmão, parte em sua busca na fria Berlim.”

Olha, eu amo esse filme, ok, sou fã assumida do Wagner Moura e isso justifica um pouco esse amor. Porém, há muito mais que isso. Ele é aquele filme que quando você pensa que já sabe o que vai acontecer, te surpreende. Os personagens são redondos e a história é profunda. Não é daqueles mais “fáceis” de ver, mas vale muito a pena.

É claro que a lista não engloba todos os bons filmes brasileiros, nem tinha essa pretensão. São apenas 1o filmes, a maioria bem atual. Uma pequena amostra das coisas boas que produzimos aqui. A escolha foi sim bem guiada pelo meu gosto, não tem como negar. Mas, acho um bom caminho de inicio. A partir destes filmes você pode chegar a outros igualmente incríveis. Vamos lá, vamos assistir conteúdo brasileiro! Vamos valorizar o que produzimos aqui!

Gostou desse post? Então deixa um comentário aqui pra eu saber 😄 ou compartilha com um(a) amigo(a)!!  E não esquece de curtir a nossa page no facebook bem -> aqui <- e de me seguir lá no instagram -> aqui <-

Beijooos da Thay

Tags:

    • Vívia Vitória
    • 21 de fevereiro de 2017

    Já assisti Central do Brasil e Hoje eu vou voltar sozinho já ta em minha listra, amei o post !

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Thayná Ivo

Blogger

Há 4 anos atrás resolvi mudar a minha alimentação. Dois anos antes, conheci o mundo por trás das câmeras do cinema, e me encantei. Hoje, faço faculdade de Cinema e me esforço para manter uma alimentação saudável em meio a correria do dia a dia...